Como podem ver, já há algum tempo que não escrevo nada. Nem aquelas cenas de dicas e afins. Não ando inspirada!

Hoje era para escrever algo, mas depois também não me apeteceu! Até começar a ouvir novamente os meus vizinhos aos berros. Mais uma vez a minha paciência está a deixar-me na mão.

Preciso de desabafar, senão cometo uma loucura!

Eu moro num prédio e sei que temos de nos habituar aos barulhos vizinhos, até porque eu faço barulho, o vizinho do lado faz barulho, somos todos barulhentos (ahahaha).

Mas não como os adolescentes dos meus vizinhos, que correm, saltam, gritam, arrastam móveis, guincham, sim fazem sons assustadores que sempre que estão em casa me fazem questionar o que se passa lá. Parece um zoo!

O problema é que são rapazes e raparigas e por vezes os gritos são tantos e de tal forma assustadores que me leva a pensar coisas menos boas.

Eu também já fui adolescente e também fiz as minhas festinhas em minha casa. Como era a única que não tinha os pais em casa, a minha casa era apelidada como a Casa do Povo, por irmos sempre para lá  conviver. Mas por medo que os vizinhos ouvissem, não gritava, não se saltava, muito menos arrastava os móveis, no máximo punha a música alta.

Já tentei avisar os pais do adolescente em causa que basicamente “cagou” para o que lhe disse. Daqueles pais que acham que tem um santo em casa e não mostrou grande interesse no lhe disse. Pena, pois um dia pode correr mesmo mal!

Estas situações acontecem na hora de almoço e começam a tirar-me do sério porque muita das vezes estou com dor de cabeça devido à minha situação de saúde. Estes últimos dias então é demais!

Estou mesmo fartinha desta barulheira! O azar é que só nós damos conta, porque trabalhamos em casa e estamos a estas horas em casa.

Eu e o meu marido passamos a vida a dizer ao meu filho para não fazer barulho cá em casa, quando ele se distraí. Porque nos preocupamos com a sua educação e com o facto da vizinha por debaixo de nós ser incomodada. Aliás para ele próprio ter noção de se preocupar com os outros. Mas não somos todos iguais, não é?

A sério, paciência não me abandones, porque um dia a coisa vai correr mal e eu vou ter um vizinho que me vai deixar de falar.

Categorias: Home

3 comentários

Patrícia Romão · 20 Outubro, 2018 às 9:42 AM

Ohhhhh… casa do povo!!! Que nome tão engraçado 😂😂😂😂
Tu não batas no adolescente 😉

Catarina · 8 Novembro, 2018 às 7:56 PM

Infelizmente o civismo não abrange toda a gente. Quando morava com a minha mãe, havia alguém no prédio que todas mas todas as noites fazia sopa com a varinha mágica às 23h/meia noite, entre outros vizinhos barulhentos.
Por isso sei bem o que é irritante!

Beijinhos

    paulaalmeida · 9 Novembro, 2018 às 9:10 AM

    Realmente é uma falta de respeito. A situação por aqui está a começar a ficar completamente descontrolada. Não há dia que não aconteça e os meus nervos já não permitem mais paciência. Lolll

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: